Mudança

Tomei café da manhã na sexta-feira com o mineiro Helder Araújo, que tem uma carreira impressionante. Formou-se em design no Brasil, foi estudar na Fabrica, lá na Itália, celeiro de talento e idéias inovadoras, trabalhou na espetacular revista Colors misturando imagem com antropologia, voltou para o Brasil, mudou-se para São Paulo e virou um profissional disputadíssimo. É contratado por grandes empresas, como Fiat e Adidas, para pensar inovadoramente por elas. O trabalho de Helder pode ser assim: viajar para a China, fotografar e entrevistar gente, fazer uma pesquisa monumental, voltar e desenhar o novo produto de uma empresa. Não é legal? O mais impressionante é que ele conseguiu isso tudo nos primeiros 30 e poucos anos de vida. Ou seja, tem uma longa vida produtiva pela frente.

Tivemos uma conversa longa e bem interessante na qual Helder me ajudou a entender melhor o processo de inovação. Ele contou dos planos dele para o futuro – entre eles lançar um site de organização de conteúdo chamado Spix, que já existe em versão fechada e atualmente está em busca de um investidor para, quem sabe, virar um site-fenômeno-internacional se as coisas derem certo. O cara realmente está sintonizado no futuro e tem um trabalho ambicioso, consistente e planejado.

Mas o que mais gostei de ouvir foi a parte em que o Helder me falou das insatisfações dele. Ele disse que decidiu trabalhar menos para empresas e mais para governos e organizações sociais. Ele quer usar o que ele sabe – seu olhar visionário e atento, seu espírito organizado e focado – para melhorar o mundo. E acha que o momento que estamos passando agora no Brasil e no mundo é o começo de uma transformação absurda na história da humanidade – o derretimento de Wall Street, a mobilização contra o aquecimento global e a eleição de Obama são algus sintomas disso.

Eu disse para ele que queria que ele, de alguma forma, nos ajudasse a pensar nossa nova “revista”. Ele ficou animado com a idéia.

Anúncios

6 Responses to Mudança

  1. aura disse:

    Wow!
    Very impressing Mr .Dennis.
    Your posting about President Obama, is very inspiring.
    So inspiring ,that even though i am brasilian .I refuse to waste my time writing this response in portugues, to you.

    When people wonder why the Crime , Poverty ,bad health care e, economical stagnation.
    When Brasil is so rich in natural resources..
    Truth is, people like you that is part of a pretentious corrupt elite ,is one of the reasons why Brasil remains years behind in its development.
    Shame on you
    a
    U are an ignorant person….and pretentious too.

    Aura

  2. Barbara Axt disse:

    Ola! Tou achando esse blog inspirador (nao gosto da palavra “inspirador,” acho meio americanoide, mas gosto da ideia). Continue contando sobre os papos com pessoas bacanas.

    Sobre a revista, tenho vontade de fazer um dia uma revista em que a discussao online alimente a edicao de papel e a edicao de papel alimente o online. Acho que os leitores iam gostar de ver algumas de suas ideias impressas (sabe como eh, a “midia de arvores mortas” continua tendo um certo peso…)

    A Business week recentemente fez uma edicao especial sobre vida de escritorio que tem varios textos de leitores, alguns tirados de forums de discussao, outros que sairam de convites. Achei bacana, e foi uma maneira muito inteligente de arrumar personagens.

    Abracos!

  3. William Gomes disse:

    Aí Dennis, fui deportado dO Experimento pra cá.

    Sobre o texto: são conversas assim que geram idéias impressionantes. Não sei se é por causa do café!

    Valeu por compartilhar o talento!

  4. artur disse:

    Aproveitando a onda do Helder, vai aí uma provocação (que tenho feito com todo mundo que todo olhar pra frente e não pro chão):
    E aí, o que vai ser a WEB 3.0?
    O que será o novo YouTube?

    Eu chutaria que tem a ver com organização…facilitando a vida de quem resolveu entrar de cabeça na bagunça do 2.0.
    Acho que o Helder concorda comigo. A diferença é se estivermos certos, ele vai pras cabeças.

  5. Parabéns Helder. Não esqueça de cobrar seu cache, pois no Brasil, se não existisse CLT trabalho escravo seria algo mais que real: banal. Não me refiro a nova Revista, mas com relação a governos e empresas que estariam interessadas em “mudar o mundo” por meio de suas idéias. Certamente que uma das melhores coisas que aconteceram na sua vida, Helder, foi sua ida para o exterior. Lá, sim, você recebe razoávelmente pelo que faz. Não é regra, mas também não é exeção. No Brasil, pagar mal, quando se paga, é regra. E depois são os funcionários que estão desmotivados, que são preguiçosos… Bla, bla, bla… Eis um tema legal: porque recebemos menos que o necessário para viver (quem sabe sobreviver)? Porque alguns lucram com a mais valia e os outros se subjulgam? Porque o arroz é caro, se é necessário a todos? Enfim, são perguntas a se fazer. Não é verdade? Não pagamos impostos? Oras. Rsss… Brincadeiras a parte, parabens Helder. Que venha o Six! Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: