O dilema QWERTY vs. Dvorak


No começo da conversa com o pessoal da colmeia (assunto do post anterior) surgiu um assunto que resume boa parte do que veio depois e do que a gente andou encontrando nos últimos dias. O Denis falou de jornalismo das antigas, e do barulho das máquinas de escrever que foi diminuindo nas redações até sumir de vez. E aí o André Passamani lembrou de como é curioso que a gente ainda use o teclado QWERTY por causa do enrosco das teclas das máquinas de escrever.

Para quem não sabe, a disposição das letras no teclado foi feita desse jeito para diminuir as chances de as teclas emperrarem, deixando letras que normalmente vão juntas na língua inglesa longe umas das outras. Lá pelos anos 1930, o americano August Dvorak ajudou a criar um teclado simplificado que reduziria o esforço de digitar em cerca de 20 vezes. O T está do lado do H e pertinho do E, todas as vogais estão juntas e por aí vai. Enquanto o QWERTY tem esse nome por causa das suas seis primeiras letras, o novo padrão ganhou o nome do seu co-criador.

Mas quando os computadores começaram a aparecer, o padrão adotado foi o QWERTY. Como você pode ver pelo teclado aí na sua frente, continua assim até hoje. Aprender a digitar num teclado Dvorak seria começar tudo do zero, aprendendo a fazer aquilo que já era automático de um jeito totalmente diferente.

É um pouco como mudar para software livre, criar vídeo e publicidade para a internet, fazer uma revista diferente dentro de uma empresa gigante. Naquela época o esforço de mudar o padrão de QWERTY para Dvorak aparentemente não valia a pena. Mas sabe-se lá se os índices de LER e tendinite não seriam bem menores hoje se a mudança tivesse acontecido.

A colmeia acredita que o que importa são as idéias. Acredita em qualidade e inteligência, e acha que o que importa não é crescer e ganhar dinheiro, mas ser foda. Eles estão há pouco tempo na estrada – como em qualquer experimento, pode dar tudo certo, pode dar tudo errado. Para bem ou mal, a gente tem bastante coisa em comum.

Anúncios

2 Responses to O dilema QWERTY vs. Dvorak

  1. Denis Russo Burgierman disse:

    Belo insight. É isso que a gente quer: mudar para algo melhor. E nosso maior obstáculo é mudar os hábitos das pessoas (que já estão acostumadas com coisas piores).

  2. Paulo disse:

    Belo bate bola.
    Eu sou fã da Colmeia!
    Esse blog a cada post tá mais interessante.
    abs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: