Insight número 1

Dia incrível de intenso. Conhecemos tanta gente, e tão diferentes uma da outra, e ouvimos tantas idéias legais, que fico até ansioso. Como processar tudo isso? Como transformar toda essa diversidade e essa vida e essa empolgação com o mundo numa revista só?

Um resuminho do que fizemos em Floripa ontem: Encontramos uma paulistana que se fascinou quando descobriu que o escritor/aviador Saint-Exuperry esteve aqui na ilha, mergulhou no assunto, se mudou para cá e foi responsável pelo encontro do sobrinho do francês com o pescador catarinense que foi amigo dele. Invadimos o lar de um anarquista porra louca lutador guerrilheiro ciclista que constrói casas com garrafas PET e explora o interior da ilha de bike. Fomos tomar cerveja com um monte de estudantes de jornalismo cheios de sonhos e idéias legais, e com um agitador cultural que nos explicou o conceito de “generosidade intelectual”.

Deixo vocês com um entre os vários insighs de ontem: o jeito como o Pereira, o tal anarquista, se define politicamente: “como meu pinto. Sempre para o alto, para frente, levemente para a esquerda, podendo avançar e recuar de acordo com as necessidades”. Moral da história: dividir o mundo simploriamente entre esquerda e direita, como muita gente ainda faz, é absolutamente insuficiente hoje. O mundo agora é muito mais complexo – e divertido – que isso.

floripa1_08

Anúncios

10 Responses to Insight número 1

  1. Stefano disse:

    Pra se acabar…
    Estou de ressaca hoje também.
    Mas diz aí, o que esse pessoal propôs até agora ?

  2. jeanpj disse:

    Gostei da visão de mundo do tal anarquista! E achei mais legal ainda escrever isso sem rodeios… Também to curioso pra saber o que tem de bom até agora…

  3. milu leite disse:

    ainda que eu tenha sido “contrabandeada” para o bar, achei o encontro regado a chope bem bacana.
    deu pra sentir a empolgação de vcs com o projeto.
    bjo pra todos

  4. Olá Pessoal!
    Vcs vem para o Rio de Janeiro?
    Quando?

    Abraços!

  5. Olá pessoal. Se vocês vão para Porto Alegre, então certamente vão passar por Laguna (não deixem de visitar a casa de Anita Garibaldi) e Criciúma. Criciúma não é lá essa coisa, mas conheço pessoas aqui que vocês certamente devem conhecer. Manoel Mendes, professor de Direito que agora vive de andar pelo mundo. Uma de suas últimas jornadas foi o Caminho de Santiago. Não deixem de ver o livro dele. Lindo. Ele mesmo bate as fotos. Também devem conhecer Lédio Rosa de Andrade, duas vezes pós-doutor (direito e psicologia) em Barcelona, um dos expoentes do Direito Alternativo (filosofia que prega a justiça e não as leis). Este homem – creio eu – esta na Espanha… Hehehe… Mas, possui alguns discípulos não menos importantes (eu sou um deles), que sabem muito bem o que é o Direito Alternativo, suas grandes vitórias e as lendas e verdades desta maneira justa de pensar as leis. Mas eu indicaria, como discípulo principal, Vladimir, também professor de Direito e doutor. Enfim, como estou me formando em Direito, minha área é essa e minhas contribuições são essas. E como Rio Grande do Sul e Santa Catarina são os estados onde nasceu o movimento do Direito Alternativo, e creio que este modo de pensar o Direito no Brasil é super interessante, minha contribuição esta dada. Se realmente quiserem ter uma conversa sobre Direito Alternativo, movimento estudantil, pluralismo jurídico (mais ou menos como acreditar na justiça estatal – estado, judiciário e polícia – como não sendo a única fonte de leis e normas sociais), Estado Brasileiro, entre outras coisas muito, muito interessante, posso marcar uma reunião com eles e vocês aqui na Unesc, Universidade do Extremo Sul Catarinense. Abraços!

  6. Link do livro do Manoel Mendes:

    http://obuscador.org

    Link do Blog do Vladimir:

    http://www.universidadecomunitaria.blogspot.com

    Abraços

  7. giblanco disse:

    Stefano: mil coisas. Vamos dividindo alguns insights com vcs aqui aos pouquinhos!

    Erika: acho que no início do mês que vem. Você espera a gente?

    Eliezer: dicas anotadas! Valeu!

  8. […] Como viver nesse mundo? “Precisamos localizar o que é verdadeiramente positivo e manter-se dentro dele na medida do possível de um jeito verdadeiramente positivo.” Engraçado como esse conselho soou parecido com coisas que ouvimos de outras pessoas por aí, inclusive de um cara que se considera ateu, o Pereira. […]

  9. […] em banca seria tão insignificante que o único modelo que fazia sentido era o de distribuição. Generosidade intelectual. A publicação é feita ali mesmo, com eles dois tocando, mais um cara cuidando da grana, e muitos […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: