Ême Esse

Campo Grande está em movimento. Na capital do Mato Grosso do Sul – ou do MS, como é carinhosamente chamado por aqui -, encontramos gente ativa, inquieta, respirando e produzindo cultura. E com a clara intenção de dar uma fugidinha dos estereótipos que o estado ganhou no resto do país (Pantanal, onça, tuiuiu, Juma Marruá…).

Primeiro encontramos a Paula Bueno. Designer, dançarinha, inventora e vencedora do concurso de melhor sorriso (ou gargalhada?) da nossa viagem até agora. A moça também está criando uma revista, a Cupim. A idéia dela é ajudar as pessoas a construirem ou identificarem uma identidade pro estado, que é uma terrinha muito jovem e cheia de gente de vários cantos do país. A Paula também quer mostrar pro resto do mundo o que o Mato Grosso do Sul esconde, e que ela teve a coragem de ir procurar. Desbravou o interior e voltou com um monte de causos curiosos e fotos lindas. Ainda não sabe exatamente quando e como vai publicar a revista, mas a gente já adorou ouvir um monte de histórias.

Depois fomos encontrar o Rodrigo Faleiros e o Hugo Carneiro, ativistas do rock independente daqui. O Rodrigo é maestro-regente da orquestra municipal e baixista da Jennifer Magnética. Já o Hugo, é vocalista da Haiwanna e já foi presidente de uma associação de bandas independentes que existia aqui (e se dissipou). Os rapazes encaram a batalha por patrocinio, lutam contra o rótulo de “rock pantanero” e comemoram vitória toda vez que vão tocar em algum lugar (ás vezes até no interior do estado) e ouvem a platéia cantarolar as letras das músicas junto com eles. Lançam CDs, mas atribuem grande parte do sucesso no estado à internet e aos mp3. Se eles são a favor da pirataria? “Se você achar o original, denuncie”, é um dos lemas do Hugo. Pelo papo na mesa do bar, deu pra perceber que os dois estão bem empolgados pra alavancar as bandas daqui. E bastante otimistas com a nova onda do rock que eles acham que está surgindo por aqui. Pois é, a gente também ficou.

Anúncios

2 Responses to Ême Esse

  1. […] Campo Grande, a “1.000 quilômetros de qualquer lugar”, como descreveu nossa amiga Paula Bueno, designer gente fina da cidade. Terminou 20 horas depois num festival de música independente em […]

  2. paula disse:

    rá, gostei de ganhar esse tal de concurso 😛 Valeu conhecer vocês, pessoal, deu um ânimo, sabe?! Além de tudo, vcs são uns queridões. beijooosx4!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: