Goin’ Home

Por um mês comemos poeira na estrada. Visitamos escritórios, apartamentos, museus, redações, um centro budista, uma comunidade científico-ambientalista, universidades e bares, muitos bares. Ouvimos todo tipo de sotaque, visitamos 9 estados, dormimos em albergues, pulgueiros deprimentes e alguns hotéis bem decentes. Comemos lula a dorê, raviolli com picanha, arroz de pequi, macaxeira com carne de sol, sanduíche de mortadela, filé a osvaldo aranha, kebab, kibeirute e testículos de peru. Passamos tempo em 10 cidades – Floripa, Porto Alegre, Foz do Iguaçu, Campo Grande, Goiânia, Pirenópolis, Brasília, Belo Horizonte, Recife e Rio de Janeiro – e saímos de cada uma delas, sem exceção, com a sensação de que alguma coisa grande está acontecendo por lá. Rodamos 7.000 quilômetros de carro e falamos com tanta gente que perdemos a conta. Ficamos impressionados com o tanto de idéia legal que cada uma dessas pessoas tinha para nos contar. Ficamos impressionados também com a generosidade com a qual TODO MUNDO repartiu essas idéias conosco.
Acabamos de tomar café da manhã. Agora é fechar as malas e voltar para casa. E aí o trabalho é nosso. Obrigado a todo mundo que nos ajudou a chegar até aqui. Se não sair uma revista incrível dessa história, podem nos culpar. Será incompetência nossa.

Anúncios

5 Responses to Goin’ Home

  1. Paulo disse:

    Foi uma grande orportunidade participar dessa experiência junto de vocês pelo blog.
    Já sinto falta dos posts, das conexões e peças que foram se encaixando.
    Obrigado por compartilharem.
    O que mais me tocou nessa historia toda foi a repetida frase:
    – Podemos mudar o mundo. – Acreditamos em um mundo melhor.
    Frase dita por diversas e diferentes pessoas que vocês se depararam no percurso.
    Compartilho dessa visão, mas a uns 6 anos atrás, era algo que já tinha para mim como verdade, por motivos filosóficos, “espirituais” pessoais. Mas soava meio piegas.
    Hoje percebo que muita gente ta pensando assim, e melhor do que isso, parece ser um pensamento que foi para esfera pragmática.
    Que beleza né? =)
    Fico aguardando a revista, mais uma vez obrigado.
    Abraços

  2. Rei Azul disse:

    Ah e nem vieram aqui em Fortaleza 😦

    Parabens pela viagem (o emprego q todo mundo sempre quis uia)

    🙂

  3. Denis Russo Burgierman disse:

    valeu, Paulo!
    ah, e o blog continua!

  4. Denis Russo Burgierman disse:

    Rei Azul,
    Esta foi a primeira viagem. Se as coisas se desenrolares do jeito que imaginamos, haverá muitas chances ainda de irmos para Fortaleza (e para Belém, e o Acre, e Brumado, e o interior de São Paulo etc etc etc etc etc).

  5. Flausino, L disse:

    Incompetência não é o caso.

    Tenho certeza que a revista saia. Dizer o que todos nós nesse mundo mutante queremos ouvir de uma maneira revolucionária, é impossível não ter nova revista. Boa chegada à Pauliceia e quero continuar a pentelhar vocêis.

    Um abraço em todos.
    Flausino

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: